O pulsar das palavras

Textos ensaísticos, analíticos, críticos e outros em jornais, revistas, livros e anais / atas sobre diversos aspectos em relação ao escritor e suas obras

Século XX

Nos anos 40

ALMEIDA, António Ramos de. “Confirmação de um romancista”, in Gazeta de Coimbra, 34, 4783, Coimbra, 28 dez. 1944.

ANDRADE, Álvaro. “Um livro e um crítico”, in Gazeta de Coimbra, 34, 4780, Coimbra, 19 dez.1944.

C.N. “Casa na Duna, romance de Carlos de Oliveira”, in Diário de Coimbra, 28 set. 1943.

DIONÍSIO, Mário. “Mãe Pobre, de Carlos de Oliveira”, in Vértice, n. 22-26, fev 1946, p. 25-27.

DIONÍSIO, Mário. “Pequenos Burgueses, romance de Carlos de Oliveira”, in. Vértice, v. VII, n. 67, mar. 1949, p. 174-176.

FERREIRA, Armando Ventura. “Alcateia, por Carlos de Oliveira”, in Seara Nova, ano 25º, 1946, p. 26-28.

HOURCADE, Pierra. “Romans et nouvelles”, in Bulletin des Études portugaises et de l’Institut Français au Portugal, Nouvelle série, tome 9ème, Fasc.2, décembre, 1943, p. 11-12.

LOURENÇO, Eduardo. “Alcateia, por Carlos de Oliveira”, in Vértice, n. 12-16, 1945, p. 52-54.

NEGREIROS, Jorge de. “Casa na Duna”, in Correio de Coimbra, 17 jul 1943.

NEMÉSIO, Vitorino. “Romance e poesia”, in Diário Popular, 29 dez 1948.

SIMÕES, João Gaspar. “Casa na Duna, romance por Carlos de Oliveira”, in Diário de Lisboa, 16 set. 1943 (republicado em Crítica III, Lisboa: Delfos, s/d, p.171-178.

SIMÕES, João Gaspar. “Pequenos Burgueses, romance por Carlos de Oliveira”, in O Sol, Lisboa, 2 abr. 1949 (republicado em Crítica III, Lisboa, Delfos, s/d, p. 183-191).

Texto não assinado. “Casa na Duna”, in República, 28 set. 1943.

Nos anos 50

ALVES. Mário. “Uma Abelha na Chuva, romance de Carlos de Oliveira”, in Flama, Lisboa, 11 set. 1953.

ANDRADE, João Pedro de. “Uma Abelha na Chuva de Carlos de Oliveira”, in Ler, Lisboa, out. 1953.

ANTUNES, M. “Vida literária, os dois melhores romances da época”, in Brotéria, Lisboa, nov. 1953.

BACELAR, Armando. “Uma Abelha na Chuva, romance de Carlos de Oliveira, in Vértice, XIV, 129, jun., 1954, p. 378-381.

BACELAR, Armando. “Resposta a Carlos de Oliveira e esclarecimento a uma crítica”, in Vértice, XIV, p. 131/132, ag. Set. 1954, p. 518-524.

DIÁRIO DE LISBOA. Inquérito – o homem e o mundo de hoje. Lisboa, 20 set.1955, p.3

FEIJÓ, Rui. “Terra de Harmonia, poemas de Carlos de Oliveira”, in Vértice, X, 85, 1950. p. 187-189.

LOPES, Óscar. “Carlos de Oliveira, Pequenos Burgueses”, 2ª ed., 1952, in Comércio do Porto, “A crítica do livro”, 11 nov. 1952.

LOPES, Óscar. “Carlos de Oliveira, Uma Abelha na Chuva, romance”, in Comércio do Porto, 25 ago. 1953.

NOGUEIRA, Franco. “Carlos de Oliveira”, in Jornal de Crítica Literária, Lisboa, Portugália, 1954, p. 145-152 e 15-160.

PORTELA, Artur. “Romance, Uma Abelha na Chuva, por Carlos de Oliveira”, in Diário de Lisboa, 20 ago. 1953.

QUINTINHA, Julião. “Pequenos Burgueses, crónica literária”, in Diário do Alentejo, ano XXI, 6824, Beja, 20 dez. 1952, p. 1.

QUINTINHA, Julião. “Crónica literária, Uma Abelha na Chuva, romance de Carlos de Oliveira, “, in Diário do Alentejo, 11 jul 1953.

QUINTINHA, Julião. “Uma Abelha na Chuva de Carlos de Oliveira – impressões de leitura”, in Notícias de Lourenço Marques, 15 ago. 1953.

RODRIGUES, Hugo Paulo. “Notas de leitura – Uma Abelha na Chuva de Carlos de Oliveira”, in Portas do Sol, “Cultura e Arte, n. 53.

SILVEIRA, Pedro da. “Uma abelha na Chuva de Carlos de Oliveira”, in Átomo, Lisboa, 30 out. 1953.

VASCONCELOS, Taborda de. “Carlos de Oliveira e o romance moderno”, in Diário de Lourenço Marques, 19 jun. 1955.

Nos anos 60

BAPTISTA-BASTOS. “Um grande escritor português contemporâneo: Carlos de Oliveira”, in República, Lisboa, 18 nov. 1963.

DIONÍSIO, Eduarda. “Alguém que não dorme e escreve”, in A Capital, Lisboa, 21 fev. 1968.

DIONÍSIO, Mário. “Prefácio”. Casa na Duna, 3ª edição, Lisboa: Portugália, 1964.

FAFE, José Fernandes. “Carlos de Oliveira ‘antikeynesista’”, in Gazeta Musical e de Todas as Artes, n. 121, Lisboa, abr 1961.

FERREIRA, Eugénio. “O romance neo-realista”, in A.B.C., Luanda, 20 abr 1963.

FERREIRA, Armando Ventura. “Uma Abelha na Chuva, romance de Carlos de Oliveira”, in Jornal de Letras e Artes, Lisboa, 27 mai. 1964.

GONÇALVES, António da Silva. “Uma Abelha na Chuva de Carlos de Oliveira”, in Diário de Lourenço Marques, 2 ago. 1960.

GUSMÃO, Manuel. “Sobre o Lado Esquerdo – de como um sujeito se lê numa sociedade”, in O Tempo e o Modo, n. 64 a 66, Lisboa, dez. 1968, p. 970-972.

LOURENÇO, Eduardo. Carlos de Oliveira e o trágico neo-realista. In: LOURENÇO, Eduardo. Sentido e forma da poesia neo-realista. Lisboa : Ulisseia, 1968. p.173-249.

MATOS, Nelson de. “Casa na Duna de Carlos de Oliveira, 3ª edição”, in Notícias da Amadora, 21 nov. 1964.

NAMORADO, Joaquim. “Poetas de hoje-II”, in Vértice, v. XXIII, n. 238, jul. 1963, p. 386 a 388.

NAVARRO, António Rebordão. “Poesias de Carlos de Oliveira”, in Vértice, v. XXIII, n. 238, jul. 1963, p. 400- 403.

POMÈS, Mathilde. “Nouvelles et romans portugais”, in Revue des Deux Mondes, Paris, 15 fev. 1965.

SILVEIRA, Jorge Ferreira da. “Relendo Carlos de Oliveira”, in Jornal de Notícias, Porto, 24 fev. 1966.

SIMÕES, João Gaspar. “Mãe Pobre e Cantata”, in Crítica II – Poetas Contemporâneos (1938-1961). Lisboa: Delfos, s.d., p. 335 a 348.

SIMÕES, Manuel. “Sobre o Lado Esquerdo”, in Vértice, n. 296, mai 1968, p. 393-395.

SIMÕES, João Gaspar. “Uma Abelha na Chuva”, in Diário Popular, Lisboa, 29 jul. 1953; rep. Crítica III, Lisboa, Delfos, 1969. p. 191-6.

TORRES, Alexandre Pinheiro. “A tetralogia da gândara de Carlos de Oliveira”. Romance: o mundo em equação. Lisboa: Portugália, 1967. p. 249-265.

TORRES, Alexandre Pinheiro. “Sobre o Lado Esquerdo”, in Diário de Lisboa, 11 abr. 1968.

TORRES, Alexandre Pinheiro. “Micropaisagem”, in Seara Nova, Lisboa, abr. 1969, p. 149-150.

Nos anos 70

ABDALA JUNIOR, Benjamin. O processo de fundamentos da escritura nos romances de Carlos de Oliveira. São Paulo: EdUSP, 1973.

ABDALA JUNIOR, Benjamin. Representação e participação: a dinâmica do concreto nos romances de Carlos de Oliveira e Graciliano Ramos. São Paulo: EdUSP, 1977.

ABDALA JUNIOR, Benjamin. “A desautomatização do estereótipo em Graciliano Ramos e Carlos de Oliveira”, in Língua e Literatura, Rev. da Fac. de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, ano VII, n. 7, São Paulo, 1978. p. 405 – 409.

ABDALA JUNIOR, Benjamin. “ O sentido do realismo em Carlos de Oliveira”, in O Estado de São Paulo, Supl. Cultural, ano II, número 77, de 9 abr. 1978, p. 10.

ABDALA JUNIOR, Benjamin.. “Convenção e estereotopia nos romances de Graciliano Ramos e Carlos de Oliveira”, in O Estado de São Paulo, Supl. Cultural, fasc. 13-14, ano II, número 90, 16 jul. 1978.

ANDREWS, George Reis. “Um Abelha na Chuva”, in Minas Gerais. Supl. Literário, 5 abr. 1975.

AURÉLIO, Diogo Pires. “Teoria da representação em Finisterra”, in Expresso, Lisboa, 7 dez. 1978.

BABO, Alexandre. “Um escritor”, in Jornal de Notícias, Porto, 5 abr. 1971.

BAPTISTA-BASTOS. “Um livro repensado: Pequenos Burgueses”, in Diário Popular, Lisboa, 27 ag. 1970.

BAPTISTA-BASTOS. “Um áspero diálogo interior”, in Diário Popular, Lisboa, 15 abr. 1971.

BAPTISTA-BASTOS. “Uma Abelha na Chuva – aventura de uma amizade”, in Diário Popular, Lisboa, 15 jun. 1972.

BERLEZE, M. Do Rocio; MELLO, R. De et al. “Tradição e modernidade de Uma Abelha na Chuva”, in Arquivos do Centro de Estudos Portugueses, Curitiba, out. 1978, p. 21-29.

BRAGA, João Alberto. “O fim da Terra”, in Expresso, Lisboa, 10 nov. 1979.

BRANDÃO, Fiama Hasse Pais. Nexos sobre a obra de Carlos de Oliveira, I e II. Colóquio/Letras. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 26 e 29, jul.1975 e jan. 1976. http://coloquio.gulbenkian.pt/cat/sirius.exe/issueContentDisplay?n=26&p=54&o=p

http://coloquio.gulbenkian.pt/cat/sirius.exe/issueContentDisplay?n=29&p=35&o=p

BRITO, Casimiro de. Trabalho Poético, de Carlos de Oliveira. In: BRITO, Casimiro de. Prática da escrita em tempo de revolução. Lisboa: Caminho, 1977. p. 100-104.

BRITO, Casimiro de. “Uma Abelha na Chuva, de Carlos de Oliveira”, in Prática de Escrita em Tempo de Revolução. Lisboa: Caminho, 1977. p. 55-56.

CAMILO DOS SANTOS, João. “Uma Abelha na Chuva: alguns aspectos da temática narrativa”, in Arquivos do Centro Cultural Português, X, Paris, 1976. p. 643 – 664.

CAMILO DOS SANTOS, João. “Alguns aspectos da técnica narrativa do romance na terceira pessoa. Dois exemplos: Agustina Bessa-Luís e Carlos de Oliveira”. Comunicação ao Colóquio sobre ficção portuguesa contemporânea, no Centro Cultural Português de F. C. Gulbenkian, Paris, out 1979.

CARVALHO, Mário Vieira de. “Finisterra, de Carlos de Oliveira, lido e comentado na Sala Manuela Porto”, in Diário de Lisboa, Lisboa, Supl. “7.Ponto.7”, 22-28 dez. 1978.

CASTRIM, Mário. “Canal da Crítica: …E falemos hoje de coisas sérias”, in Diário de Lisboa, 5 de dez.1978 (crítica ao Programa de TV “A Escrita em Dia”).

COELHO, Eduardo Prado. “Carlos de Oliveira, A atracção vocabular”, in A Capital, set. E dez. 1971. Rep. A palavra sobre a palavra, Porto: Portucalense, 1972, p. 133-158.

COELHO, Eduardo Prado. “Uma Abelha na Chuva: o risível e o dizível”, in A Capital, Lisboa, 15 mar. 1972.

COELHO, Eduardo Prado. Carlos de Oliveira – trabalho poético. Colóquio/Letras. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 37: 78-79, maio 1977. http://coloquio.gulbenkian.pt/cat/sirius.exe/issueContentDisplay?n=37&p=78&o=p

COELHO, Eduardo Prado. Carlos de Oliveira, a atracção vocabular. In COELHO, Eduardo Prado A palavra sobre a palavra. Porto: Portucalense, 1972a. p. 133-158.

COELHO, Eduardo Prado. Itinerário poético de Carlos de Oliveira. In COELHO, Eduardo Prado A letra litoral, Lisboa: Moraes, 1979. p. 155-179.

COELHO, Eduardo Prado. A questão ideológica na obra de Carlos de Oliveira”, in Cadernos de Literatura, 3, Coimbra, 1979.

COELHO, Eduardo Prado. Em torno de um poema de Carlos de Oliveira. In COELHO, Eduardo Prado A letra litoral, Lisboa: Moraes, 1979. p.180-186.

CONRADO, Júlio. “Carlos de Oliveira ou um neo-realismo ‘bem-escrito’”, in Vida Mundial, “Literatura”, Lisboa, 16 jul. 1970.

CONRADO, Júlio. “Casa na Duna: reencontro aprazado”, in Vida Mundial, Lisboa, 21 nov. 1970.

CONRADO, Júlio. “O Aprendiz de Feiticeiro”, Vida Mundial, Lisboa, 4 jun. 1971.

CONRADO, Júlio. “Finisterra: um certo contencioso”, in Diário Popular, Lisboa, 1 fev. 1979.

CRUZ, Gastão. “Sobre uma crítica a Pequenos Burgueses, de Carlos de Oliveira”, in Diário de Lisboa, “Suplemento Literário”, 27 ago. 1970.

CRUZ, Gastão. “Esquecimento e memória na poesia de Carlos de Oliveira”, in A poesia portuguesa hoje. Lisboa: Plátano Editora, 1973, p. 63-70.

CRUZ, Gastão. “O peso das palavras na poesia de Carlos de Oliveira”, in A poesia portuguesa hoje. Lisboa: Plátano Editora, 1973, p. 55-61.

CRUZ, Gastão. “Finisterra ou a geometria do real”, in O Jornal, Lisboa, 3 ago. 1979.

CRUZ, liberto. “Reflexões sobre a temática de Uma Abelha na Chuva”, in Seara Nova, 1549, 1974. p. 19-24.

DIONÍSIO, Eduarda. “Pequenos Burgueses”, in Seara Nova, Lisboa, ago. 1970.

DIONÍSIO, Eduarda. “Uma Abelha na Chuva: Quarta Edição”, in Crítica, n. 1, Lisboa, 1971.

DIONÍSIO, Mário. “Prefácio” à 3ª edição de Casa na Duna. Lisboa: Portugália, 1974.

DUARTE, Isabel Margarida. “Finisterra”, Jornal de Notícias, Porto, 5 dez. 1978.

DUARTE, Isabel Margarida. “Escrita em dia” (Programa da RTP), 4 dez. 1978; coordenado por Eduardo Prado Coelho e com a participação de Augusto Abelaira, Manuel Gusmão e Maria Lúcia Lepecki; sobre Finisterra).

GOMES, Álvaro Cardoso. “A ciranda da infelicidade”, “Suplemento literários” de O Estado de São Paulo, 15 jul. 1979.

GUEDES, Maria Estela. “Carlos de Oliveira: Finisterra”, in Diário Popular, Lisboa, 4 out. 1978.

GUEDES, Maria Estela. “Balanço literário de 1978”, in Diário Popular, Lisboa, 28 dez. 1978.

GUSMÃO, Manuel. “Um tempo poético”, in Crítica, n. 2, Lisboa, dez 1971.

GUTERRES, Maria. “Uma Abelha na Chuva – romance neo-realista”, in Aufsatze zur Portugiesischer Kulturgeschichte, XIV, 1976-1977. Munster: Ed. Aschendorfsche. p. 112-117.

JÚDICE, Nuno. “Guia (sumário) para ler Finisterra”, in Diário de Notícias (Supl. “Cultura”), 9 nov. 1978.

JUSTO, Cipriano. “O Português com mestre”, in O Diário, Lisboa, 31 ago. 1978.

LANCIANI, Giulia. Carlos de Oliveira, studio e antologia poética. Edizioni Accademia, Milão, 1975.

LANCIANI, Giulia. Carlos de Oliveira e Majakovsky. Grafiche Galeati, Imola, 1978.

LEPECKI, Maria Lúcia. Sobre Carlos de Oliveira (1), entre narrativa e poesia, in Diário Popular, Supl. Letras e Artes, Lisboa, 30 nov. 1978.

LEPECKI, Maria Lúcia. Sobre Carlos de Oliveira (conclusão), as tensões dramáticas, Diário Popular, Supl. Letras e Artes, Lisboa, 7 dez. 1978a.

LOBO, Manuel de Sousa. “Rigor e austeridade – Uma Abelha na Chuva por Carlos de Oliveira”, in Diário Popular, Lisboa, 29 jan. 1970.

MAGALHÃES, Joaquim Manuel. “Algumas palavras sobre coisas pessoais (1)”, in A Capital, Lisboa, 2 dez. 1978; Rep. Os dois crepúsculos, “A Regra do Jogo”, Lisboa-Porto, 1981.

MARGARIDO, Alfredo. “A introdução do marxismo em Portugal foi feita pelos anarquistas”, entrevista, in Diário Popular, 10 fev. 1977(suplemento “Letras e Artes”).

MARTINS, Manuel Frias. “Finisterra”, in Vértice. Coimbra, XXXIX, volume n. 416, jan.fev. 1979, p. 59-62.

MATEUS, J. A. Osório. “Carlos de Oliveira, in O Aprendiz de Feiticeiro”, in Colóquio / Letras, jun. 1971, p. 87-88.

http://coloquio.gulbenkian.pt/cat/sirius.exe/issueContentDisplay?n=2&p=87&o=p

MATOS, Nelson de. Micropaisagem, um espaço de rigor e harmonia. In: ______. A leitura e a crítica. Lisboa: Estampa, 1971. p.107-154.

MENDES, José Manuel. “Uma Abelha na Chuva: alguns percursos de leitura”, ed. Ciclostilada para uso escolar, Braga, 1977.

MENDES, João. “Finisterra ao serviço do princípio da indiferenciação”, Diário de Lisboa, Lisboa, 29 dez. 1978.

MENÉRES, Maria Alberta. “A propósito do Prémio Cidade de Lisboa. A minha Finisterra”, in Expresso, Lisboa, 28 mai. 1979.

MIRANDA, J. Costa. “Carlos de Oliveira – Officina Poética” (recensão a Studio e antologia poética a cura de Giulia Lanciani), in Colóquio / Letras, n. 35, jan. 1977, p. 81-82. http://coloquio.gulbenkian.pt/cat/sirius.exe/issueContentDisplay?n=35&p=81&o=p

MORGÁDEZ, Manuel del Pino. Neorrealismo literário português: monólogo literário em la narrativa de Carlos de Oliveira. Ed. ciclostilada, Universidad de Salamanca, 1979.

MOURA, Fernando. “Perfil de Carlos de Oliveira”, in Vértice, n. 354/5, jul-ago, 1973. p. 686-692.

NAVARRA, António Rebordão. “O Aprendiz de Feiticeiro”, in Jornal Português de Economia e Finanças Lisboa, 16 mai. 1971.

PALMA-FERREIRA, João. “Pequenos Burgueses, de Carlos de Oliveira”, in A Capital, “crítica de livros”, Lisboa, 12 ago. 1970.

PIRES, Alves. “O Aprendiz de Feiticeiro”, in Brotéria, out. 1972.

POPPE, Manuel. Um prosador admirável – O Aprendiz de Feiticeiro, de Carlos de Oliveira, Diário Popular, Lisboa, 22 abr. 1971. p.8-10.

QUADROS, António. “Leituras de Verão, Reflexões de Outono (1), Prémio Literário Cidade de Lisboa”, in O Dia, Lisboa, 13 out. 1979.

REIS, Carlos. O tempo em dois romances de Carlos de Oliveira, Coimbra, 1975 (separata de Biblos, vol. LI).

ROCHA, Luís de Miranda. “Pequenos Burgueses”, in Mar Alto, “Artes e Letras”, nº 50, Figueira da Foz, 6 nov. 1970.

ROCHA, Luís de Miranda. “O homem que não dorme”; “O trabalho da tarde” e “O soneto fiel”, Limite e Limiar: textos sobre textos, in Jornal do Fundão Editora, 1977, p. 65-71, 71-74 e 74-78.

ROCHA, Luís de Miranda. “Balanço de 78 – Carlos de Oliveira, Eduardo Lourenço, alguns poetas e pouco mais”, in Diário de Lisboa, Supl. “7.Ponto./”, de 22-28 dez. 1978.

ROCHA, Luís de Miranda. “As Letras em Dia – Balanço (2); ficção; Finisterra e outros”, in Jornal do Fundão, 5 jan. 1979.

RODRIGUES, Urbano Tavares. “O prazer da leitura – meditação em agosto – Finisterra”, in O Diário, Lisboa, 4 set. 1978.

RODRIGUES, Urbano Tavares. “Finisterra ou de como o realismo objectal pode tornar-se interveniente”, in Diário de Lisboa, Lisboa, 11 out. 1978.

RODRIGUES, Urbano Tavares. “O prazer da leitura”, in Diário do Alentejo, Beja, 11 out. 1978.

RODRIGUES, Urbano Tavares. “Carlos de Oliveira, Finisterra – Paisagem e Povoamento”, in Colóquio / Letras, Lisboa, n. 47, jan. 1979, p. 89-90 http://coloquio.gulbenkian.pt/cat/sirius.exe/issueContentDisplay?n=47&p=89&o=p

ROSA, António Ramos. Entre duas memórias. Colóquio/Letras. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 7, maio 1972, p. 80-82. http://coloquio.gulbenkian.pt/cat/sirius.exe/issueContentDisplay?n=7&p=80&o=p

RODRIGUES, Urbano Tavares. “Uma Abelha na Chuva de Carlos de Oliveira sobre Uma Abelha na Chuva”, in O Século, 5 jul. 1975.

SACRAMENTO, Luís. “Carlos de Oliveira”, Ensaios de domingo II, Porto: Inova, 1974, p. 45-53.

SALEMA, Álvaro. Carlos de Oliveira, in Seara Nova, n° 1592, junho 1978, p. 46.

SAMPAYO, Nuno de. “O Aprendiz de Feiticeiro, de Carlos de Oliveira”, in A Capital, Lisboa, 28 abr. 1971.

SANTILLI, Maria Aparecida. “Uma Abelha na Chuva, 7. ed., Lisboa, in Seara Nova, 1974”, in Língua e Literatura, vol. 3, São Paulo, 1974. p. 345-347.

SANTILLI, Maria Aparecida. “Pequenos Burgueses, de Carlos de Oliveira – Praxis e Eidos”. Arte e Representação da Realidade no Romance Português Contemporâneo. São Paulo: Quorum, 1979. p. 145-167.

SANTOS, João Camilo dos. Uma Abelha na Chuva, de Carlos de Oliveira – alguns aspectos da técnica narrativa, in Arquivos do Centro Cultural Português, Paris, Vol.X, p. 643-664.

SEIXO, Maria Alzira. “Do mel às cinzas”. Posfácio à edição especial de Uma Abelha na Chuva, ed. Limiar, Porto, 1976.

SERRANO, Miguel. “Moinhos de vento coloridos”, in O Diário, Lisboa, 31 ago. 1978.

SIMÕES, João Gaspar. “O Aprendiz de Feiticeiro, Pequenos Burgueses e Uma Abelha na Chuva”, in Diário de Notícias, Lisboa, 20 mai. 1971.

SIMÕES, João Gaspar. “Uma peça básica do neo-realismo, Casa na Duna, romance por Carlos de Oliveira”, in Diário de Notícias, Lisboa, 26 mai. 1977.

SIMÕES, João Gaspar. “O ‘caso’ Carlos de Oliveira”, in Diário de Notícias, Lisboa, 24 ago. 1978.

SIMÕES, Manuel. “Cinco poetas à volta da forma”, in Vértice, n. 340, mai 1972, p. 382-383.

SOUZA, João Rui de. Minuciosa, áspera memória. [resenha sobre Entre duas memórias de Carlos de Oliveira]. Crítica. Lisboa, janeiro de 1972. p.5-6.

TAVANI, Giuseppe. “A propósito duma antologia”, in Colóquio / Letras, n. 25, mai. 1975, p. 67-69.

TEXTO NÃO ASSINADO. “Finisterra, de Carlos de Oliveira”, in Seara Nova, Lisboa, out.-nov. 1978.

TORRES, Alexandre Pinheiro. “O neo-realismo, ou algumas das necessidades não primárias que equacionam”, in O Neo-Realismo Literário Português, Lisboa: Moraes, 1977. p. 61-71.

VIEIRA, Yara Frateschi. “Uma Abelha na Chuva: procedimentos retóricos da narrativa”, in Alfa, F. L. de Marília, São Paulo, Dep. de Letras, n. 16, 1970. p. 235-55.

VIAN, Jaime Rodrigues (pseudónimo de Casanovas, Luís E. Elias). “Uma Abelha na Chuva (a propósito do filme de Fernando Lopes)”, in Vértice, XXXII, n. 340, maio, 1972, p. 374-377.

Nos anos 80

ABDALA JUNIOR, Benjamin. A escrita neo-realista: análise socioestilística dos romances de Carlos de Oliveira e Graciliano Ramos. São Paulo: Ática, 1981.

ABDALA JUNIOR, Benjamin. “Escrita dialéctica e formas rituais, nos romances de Carlos de Oliveira”, in Vértice, XLII, 450/451, set. – out. / nov. – dez., 1982. p. 646-654.

ANDRADE, Carlos Santarém. “Correm as lágrimas ao rio…Carlos de Oliveira em Coimbra”, in Vértice, XLII, 450/451, set. – out. / nov. – dez., 1982. p. 663-670.

ANDRADE, Eugénio de . Na morte prematura do poeta. Jornal de Letras, Artes e Ideias. Lisboa,7-20 jul. 1981. p.16.

ANDRADE, Eugénio de. “Recado para o Carlos” (poema), in Vértice, XLII, 450/451, set. – out. / nov. – dez., 1982. p. 606.

BAPTISTA-BASTOS. “O escrúpulo e a integridade”, in Diário de Lisboa, suplemento “Ler e Escrever”, n. 18, 9 jul 1981.

BRANDÃO, Fiama Hasse Pais. Para além da obra devo-lhe a ficção viva. Jornal de Letras, Artes e Ideias. Lisboa, 7-20 jul.1981. p.10.

CALADO, Maria Chaby. O neo-realismo e a vivência pessoal. (A última entrevista com Carlos de Oliveira feita no dia 29.06.1981 e ainda inédita). O Diário. Lisboa, 01 nov. 198l. Suplemento cultural, p.8-9.

CORREIA, Natália. Intervenção na Assembleia da República, a propósito de um voto de pesar pela morte de Carlos de Oliveira. Diário da Assembleia da República, I série, II legislatura, 1ª sessão legislativa (1980/1), n. 91, 8 de julho de 1981.

COSTA, Linda Santos. Dez anos depois do fim do mundo. Jornal de Letras, Artes e Ideias, Lisboa, 9/8/88, p. 7.

CRESPO, Angel. “Para recordar a Carlos de Oliveira” (poemas), in Vértice, XLII, 450/451, set. – out. / nov. – dez., 1982. p. 603-605.

CRUZ, Gastão. Que lhe diremos, mestre. In: CRUZ, Gastão. A poesia portuguesa hoje. 2.ed. corr. e aum. Lisboa: Relógio d’Água, 1999. p. 60-62. [publicado anteriormente em Jornal de Letras. Lisboa,7-20 jul. 198l, p.17]

CRUZ, Gastão. “Dois poemas para Carlos de Oliveira: 1. Let’s talk of graves, of worms, and epitaphs; 2. Substância escura, in Vértice, XLII, 450/451, set. – out. / nov. – dez., 1982. p. 607-608.

CRUZ, Gastão. Carlos de Oliveira: uma poética da brevidade no contexto do neo-realismo. In: CRUZ, Gastão. A poesia portuguesa hoje. 2.ed. corr. e aum. Lisboa: Relógio d’Água, p.63-69. [ publ. anteriormente em A phala – um século de poesia (1888-1988). Ed.especial. Lisboa: Assírio & Alvim, Lisboa, 1988. p. 83-86].

CUCURULL, Félix. Na morte de um grande escritor. Vértice [II.série]. Lisboa, 450/45l: 572-574, set.-out./nov./dez. 1982.

DADSON, Trevor J. “A note on symbolism Carlos de Oliveira’s Uma Abelha na Chuva”, in Neophilologus, LXVIII, n. 2, Apr. 1984.

DIONÍSIO, Eduarda. “Finisterra: cálculos, sonhos, tentativas”. Leitura feita na Sana Manuela Porto, no. 1978), in Jornal de Letras, Artes e Ideias, ago. 1981, p. 9-10.

DIONÍSIO, José Amaro. “Carlos de Oliveira: a sombra das palavras”, in Espaço Magazine, Lisboa, ago. 1980, p. 87-89.

DIONÍSIO, Mário. Contextos esquecidos. Jornal de Letras, artes e ideias. Lisboa, 7 a 20 jul. 1981, p.16.

DIONÍSIO, Mário. “Poema”, in Vértice, XLII, 450/451, set. – out. / nov. – dez., 1982. p. 610.

FAGUNDES, Francisco Cota. Tese e simbolismo em Uma Abelha na Chuva, in Colóquio Letras, N° 58, 1980.

FERRAZ, Maria de Lurdes A. “Aproximação a Finisterra”, in Jornal de Letras, Artes e Ideias, n. 13, Lisboa, 18 a 31 ago. 1981, p. 8.

FERREIRA, José Gomes. “Lápide para Carlos de Oliveira”, in Vértice, XLII, 450/451, set. – out. / nov. – dez., 1982. p. 609.

FERREIRA, Manuel. “Um firme empenhamento cívico”, in Vértice, XLII, 450/451, set. – out. / nov. – dez., 1982. p. 596-602.

GARCIA, Carlos. “Funcionalidade de duas estruturas e arquitectura simbólica em Uma Abelha na Chuva”, in Vértice, XLII, n. 450/451, set.out. / nov. Dez. 1982, p. 655-662.

GUEDES, Maria Estela. Finisterra (1) – A Terra Emoldurada, in Letras e Artes, in Diário Popular, Lisboa, 16 out. 1980.

GUEDES, Maria Estela. Finisterra (2) – Grafismos, in Letras e Artes, in Diário Popular, Lisboa, 23 out. 1980.

GUEDES, Maria Estela. Finisterra (conclusão), in Letras e Artes, in Diário Popular, Lisboa, 30 out. 1980.

GUSMÃO, Manuel. A poesia de Carlos de Oliveira [apresentação crítica, selecção, notas e sugestões de leitura]. Lisboa: Seara Nova-Comunicação, 1981.

GUSMÃO, Manuel. “Introdução, Uma Abelha na Chuva, Círculo de Leitores, série Romances Portugueses – Obras-Primas do Século XX”, Lisboa, 1986, p. VII-LXXVII.

GUSMÃO, Manuel. Textualização, polifonia e historicidade. Vértice (II série), Lisboa, 6: 47-51, set.1988.

GUTERRES, Maria. “Casa na Duna- uma interpretação”, in Vértice, XLII, n. 450/451, set. Out. 7 nov. Dez. 1982, p. 692-699.

JÚDICE, Nuno. “Carlos de Oliveira, Viagem à volta de uma colmeia”, in Jornal de Letras, Artes e Ideias, I, 6, Lisboa, 9-22 jun. 1981.

JÚDICE, Nuno. “Sedimentos iniciáticos de um trabalho poético”, in Jornal de Letras, Artes e Ideias, 41, 1982. p. 12-13.

KERR Jr., John Austin. “Finisterra: paisagem e povoamento”, in World Literature Today, vol. 54, n. 1, University of Oklahoma, Winter, 1980.

LANCIANI, Giulia. “Variantes e reescrita em Carlos de Oliveira. Notas à margem de Turismo”, in Vértice, XLII, 450/451, set. – out. / nov.-dez., 1982, p. 674-685.

LANCIANI, Giulia. Introduzione a Finisterra – paesagio e popolamento. Japadre Editore, L’Aquila, Roma, 1983.

LEPECKI, Maria Lúcia. Finisterra, a casa, as mãos, o tempo. In: LEPECKI, Maria Lúcia. Sobreimpressões (estudos de literatura portuguesa e africana), Lisboa: Caminho, 1988. p.49-58.

LEPECKI, Maria Lúcia. Meridianos do texto. Lisboa: Assírio e Alvim, 1980.

LEPECKI, Maria Lúcia. “Finisterra, a casa, as mãos, o tempo”, Sobreimpressos (Estudos de Literatura Portuguesa e Africana), Caminho, Lisboa, 1988, p. 49-58.

LOBO, Manuel de Sousa. “Um escritor exemplar”, in Diário Popular, “Crítica Literária”, Lisboa, 18 jul. 1980.

LOPES, Óscar. “Época contemporânea, cap.V – Novas tendências realistas”, in LOPES, Óscar e SARAIVA, António José. História da literatura portuguesa. 15ª ed., Porto: Porto Editora, 1989, p. 1109-1111. (há novas edições ao longo dos anos)

LOPES, Tereza Coelho. “Os ratos roem o coração do Cardoso”, in Vértice, XLII, n. 450/451, set. Out. / nov. Dez. 1982, p. 700-711.

MAGALHÃES, Joaquim Manuel. Duas Cantata de Carlos de Oliveira. In: MAGALHÃES, Joaquim Manuel. . Os dois crepúsculos. Sobre poesia portuguesa actual e outras crónicas. Lisboa/Porto: A Regra do Jogo, 1981. p.63-75.

MARINHO, Maria de Fátima. A construção/desconstrução do discurso na poesia de Carlos de Oliveira. In: MARINHO, Maria de Fátima. A poesia portuguesa nos meados do século XX Rupturas e continuidades. Lisboa: Caminho.1989, p.167-175.

MARTINS, Manuel Frias. Finisterra – paisagens e povoamento. In: MARTINS, Manuel Frias. Sombras e transparências da literatura. Lisboa: Instituto Nacional – Casa da Moeda, 1983. p.113-120.

MENDES, José Manuel. Intervenção na Assembleia da República, a propósito de um voto de pesar pela morte de Carlos de Oliveira. Diário da Assembleia da República, I série, II legislatura, 1ª sessão legislativa (1980/1), n. 91, 8 de julho de 1981.

MENDES, José Manuel. “Carlos de Oliveira, raiz”, in Diário de Lisboa, suplemento “Ler e Escrever”, n. 18, 9 jul 1981.

MENDES, José Manuel. “Uma Abelha na Chuva – alguns percursos de leitura”, in Vértice, XLII, n. 450/451, set.out./ nov. Dez., 1982, p. 686-691.

MENDES, José Manuel. “Contribuição para uma biobibliografia – bibliografia”, in Vértice, XLII, 450/451, set. – out. / nov. – dez., 1982. p. 744-761.

MENEZES, Salvato Teles. Carlos de Oliveira uma poética do realismo, in O Diário. Lisboa, 24 de abril de 1983. Suplemento cultural, p.6-7.

MONTE, José Ferreira. “Carta a Carlos de Oliveira” (poema), in Diário de Lisboa, suplemento “Ler e Escrever”, n. 18, 9 jul 1981.

MOREIRA, Vita. “Dois fragmentos de uma versão inédita de Alcateia. Nota de apresentação”, in Vértice, XLII, n. 450/451, set. Out. / nov. Dez. 1982, p. 732-734.

MOREIRA, Vital. “Contribuição para uma “Contribuição para uma biobibliografia – bibliografia”, in Vértice, XLII, 450/451, set. – out. / nov. – dez., 1982. p. 737-744.

MORGEDEZ, Manuel de Pino. “Objetivismo y subjetividad del personage em la narrativa neorrealista: Casa da Malta y Alcateia”, in Cadernos de Literatura, n. 8, 1981, p. 51-62.

NAMORA, Fernando. “Um percurso”, in Diário de Lisboa, suplemento “Ler e Escrever”, n. 18, 9 jul. 1981.

NAMORA, Fernando. “O Carlos, mais uma vez”, in Vértice, XLII, 450/451, set. – out. / nov. – dez., 1982. p. 575 – 576.

PACHECO, Fernando Assis. “Na morte de Carlos de Oliveira – Também semeio floresta”, in O Jornal, 3 jul. 1981.

PIRES, José Cardoso. Sobre o lado esquerdo. Jornal de letras, artes e ideias. 7 a 20 jul.1981, p.17.

PIRES, José Cardoso. “A palavra, o todo”, in Vértice, XLII, 450/451, set. – out. / nov. – dez., 1982. p. 575 – 576.

PITA, António Pedro. “Um poema juvenil de Carlos de Oliveira”, in Vértice, XLII, 450/451, set. – out. / nov. – dez., 1982. p. 643-645.

REIS, António. Intervenção na Assembleia da República, a propósito de um voto de pesar pela morte de Carlos de Oliveira. Diário da Assembleia da República, I série, II legislatura, 1ª sessão legislativa (1980/1), n. 91, 8 de julho de 1981.

REIS, Carlos. Introdução à leitura de Uma Abelha na Chuva. Coimbra: Almedina, 1980.

REIS, Carlos. Representação lírica e pragmática ideológica. In: REIS, Carlos. O discurso ideológico do neo-realismo português. Coimbra: Almedina, 1983. p. 602.

ROCHA, Luís de Miranda. Carlos de Oliveira, rudes e breves as palavras pesam, in Diário de Lisboa, supl. Ler e Escrever, nºs 38,39, 40 e 41, de 26 nov, 3, 10 e 17 dez. 1981.

ROCHA, Luís de Miranda. Sobre a Pastoral de Carlos de Oliveira, in Diário de Lisboa, supl. Ler e Escrever, nºs 22 e 23 de 06 ago. e 13 ago. 1981.

RODRIGUES, Urbano Tavares. Um amigo inesquecível, Vértice, XLII, 450/451, set. – out. / nov. – dez., 1982. p. 575 – 576.

ROIG, Adrien. Correspondência e conversa com Carlos de Oliveira sobre Uma Abelha na Chuva, in Vértice, XLII, n. 450/451, set. Out. / nov. Dez., 1982, p. 611-626.

ROIG, Adrien. Carlos de Oliveira, Une abeille sous la pluie , in Europe, Littérature du Portugal, N° 60, avril, 1984, p. 89-96.

ROIG, Adrien. Crepúsculo (1947) de Carlos de Oliveira: Une présentation oubliée de son roman Pequenos Burgueses ( 1948) , in Quadrant, Montpellier, Univ. Paul Valéry, 1984, p. 64-89.

SALEMA, Álvaro. “O artista e o ofício”, in Vértice, XLII, 450/451, set. – out. / nov. – dez., 1982. p. 575 – 576.

SANTOS, Fernando Piteira. “Um operário das palavras”, in Diário de Lisboa, 2 jul 1981. [republicado in Vértice, XLII, 450/451, set. – out. / nov. – dez., 1982. p. 577-580.

SANTOS, João Camilo dos. Carlos de Oliveira et le Roman, Paris, Fondation Calouste Gulbenkian/ Centre Culturel Portugais, 1987.

SANTOS, João Camilos dos. Individu et société dans les romans de Carlos de Oliveira, in Cadernos de Literatura, nº 18, INIC, Univ. de Coimbra, 1984. p. 14-30.

SANTOS, João Camilo dos. «Breves reflexões sobre o neo-realismo de Carlos de Oliveira: a influência grega e a herança de Ibsen, in Arquivos do Centro Cultural Português, Paris, Vol. XXII, 1986. p. 423-453

SEABRA-DINIS, Joaquim. “Sobre Carlos de Oliveira”, in Vértice, XLII, 450/451, set. – out. / nov. – dez., 1982. p. 581 – 588.

SEIXO, Maria Alzira. Paisagem e narração em Finisterra de Carlos de Oliveira. In: SEIXO, Maria Alzira. A palavra do Romance. Lisboa: Livros Horizonte, 1986. p. 114-123.

SILVA, Mateus Jorge. Semiótica. A leitura estrutural de Uma Abelha na Chuva, edição policopiada, Matosinhos, 1981.

SUBIRATS, Jean. “Usages divers et fonction singulière de la parenthèse dans Finisterra de Carlos e Oliveira”, in Arquivos do Centro Cultural Português, XIX, Fun. Calouste Gulbenkian, Lisboa-Paris, 1983, p. 821-853.

TORRES, Alexandre Pinheiro. Em memória (fiel) de Carlos de Oliveira. Jornal de letras, artes e ideias. Lisboa, jul. 1981. p.13.

VAL, Terezinha de Jesus da Costa. Do feminino em Carlos de Oliveira. Cadernos do 3º Encontro Nacional Mulher & Literatura. Florianópolis, 2: 138 – 142, 1989.

VASCONCELOS, José Carlos. “Carlos de Oliveira”, in Jornal de Letras, Artes e Ideias, I, 10, 7-20 jul. 1981.

VÉRTICE. Lisboa, 450/1, set./out., nov./dez. 1982. [número duplo dedicado a Carlos de Oliveira, com diversos estudos sobre sua obra.]

Nos anos 90

ABDALA JUNIOR, Benjamin. Uma caligrafia. Jornal de Letras, Artes e Ideias. Lisboa, 2 jul. 1991. p.19.

ABELAIRA, Augusto. “A Biografia de Carlos de Oliveira”, in Carlos de Oliveira, 50 anos na Literatura Portuguesa (1942-1992). Câmara Municipal de Lisboa, Museu do Neo-Realismo, Município de Vila Franca de Xira, AMASCULTURA (Padrão dos Descobrimentos 2/12 de julho de 1992), Lisboa, 1992.

ABELAIRA, Augusto. Fausto. Jornal de Letras, Artes e Ideias. Lisboa, 14 jul. 1992. p. 7.

ALVES, Ida. As Imagens da terra na Poesia de Carlos de Oliveira. Boletim Centro de Estudos Portugueses, Faculdade de Letras da UFMG. , v.18, p.121 – 132, 1999.

BAPTISTA-BASTOS. Carlos de Oliveira: o cotidiano como enigma. Jornal de Letras, Artes e Ideias. Lisboa, 2 jul. 1991. p.18.

BESSE, Maria Graciete. La vision de la dormeuse – une rhétorique du corps dénudé dans Pequenos Burgueses de Carlos de Oliveira”, in Quadrant, n°8, Montpellier, 1991.

BESSE, Maria Graciete. Actualidade de Carlos de Oliveira em França, in Letras &Letras , n°46, Porto, 1991

BESSE, Maria Graciete. Les figures du jeu dans Pequenos Burgueses de Carlos de Oliveira”, in Intercâmbio n°2, Porto, 1991.

BESSE, Maria Graciete. Les voix du sang – circulation de la violence dans Pequenos Burgueses de Carlos de Oliveira, in Quadrant n°9, Montpellier, 1992.

BESSE, Maria Graciete. La rumeur du temps dans Pequenos Burgueses de Carlos de Oliveira, in Arquivos do Centro Cultural Português, vol. XXXI, Fund.Gulbenkian, Lisboa-Paris, 1992

BRANDÃO, Fiama Hasse Pais. Carlos de Oliveira – rigor solar [texto não assinado]. Jornal de Letras, Artes e Ideias. Lisboa, 2 jul. 1991. p.16.

BRANDÃO, Fiama Hasse Pais. Olhar a estante. Jornal de Letras, Artes e Ideias. Lisboa, 2 jul. 1991. p.19.

BRANDÃO, Fiama Hasse Pais. “Cantata para Carlos de Oliveira” (sem assinatura), in Jornal de Letras, Artes e Ideias, XII, 523, 14 jul 1992, p.6.

CAÇÃO, Idalecio. “Alcateia: um romance imperfeito?”, in Letras & Letras, v. 61, 18 dez. 1991, p. 13.

CAMILO DOS SANTOS, João. “Apresentação de um romancista neo-realista: Carlos de Oliveira, in Vértice, IIª série, 38, mai 1991, p.25-43.

CEIA, Carlos. A antecipação da morte na poesia de Carlos de Oliveira, in De Punho Cerrado. Ensaios de hermenêutica dialéctica da literatura portuguesa contemporânea, Lisboa, Cosmos, 1997, p. 263-272.

COSTA, Maria Velho. “Algumas evocações”, in Jornal de Letras, Artes e Ideias, XI, 469, 2 jul. 1991, p.17.

CRUZ, Gastão. Carlos de Oliveira a linguagem dos artesãos. In: CRUZ, Gastão. A poesia portuguesa hoje. 2.ed. corr. e aum. Lisboa: Relógio d’Água, p.70-72. [publ.anteriormente em Jornal de Letras, Artes e Ideias. Lisboa, 2 jul. 199l. p. 16].

CRUZ, Gastão. O peso das palavras na poesia de Carlos de Oliveira In: CRUZ, Gastão. A poesia portuguesa hoje. 2.ed.corr. e aum. Lisboa: Relógio d’Água, 1999. p. 45-48.

CRUZ, Gastão. Esquecimento e memória na poesia de Carlos de Oliveira. In: CRUZ, Gastão. A poesia portuguesa hoje. 2.ed.corr. e aum. Lisboa: Relógio d’Água, 1999. p.49-54.

CRUZ, Gastão. Finisterra ou a geometria do real. In: CRUZ, Gastão. A poesia portuguesa hoje. 2.ed.corr. e aum. Lisboa: Relógio d’Água, 1999. p.55-59.

DIOGO, Américo António Lindeza. Aventuras da mimese na poesia de Carlos de Oliveira e na poesia de António Franco Alexandre. Pontevedra/Braga: Irmandades da Fala de Galiza e Portugal, 1995.

DIONÍSIO, Eduarda. Falar de saudade. Jornal de Letras, artes e ideias. Lisboa, 14 jul. 1992, p.6-7.

GOULART, Rosa Maria. Artes poéticas. Braga: Angelus Novus, 1997.

GUIMARÃES, Fernando. Florir, parente de floresta. Letras & Letras [jornal], Porto, 18 dez. 1991, p.8

GUSMÃO, Manuel. Carlos de Oliveira: trabalho poético – paisagem e povoamento. In: Carlos de Oliveira. 50 anos na literatura portuguesa (1942-1992), Câmara Municipal de Lisboa, Museu do Neo-Realismo – Município de Vila Franca de Xira, AMASCULTURA (Padrão dos Descobrimento 2/12 jul. 1992), Lisboa, 1992. [sem paginação]

GUSMÃO, Manuel. Em memória de Carlos de Oliveira. Tabacaria. Lisboa: Casa de Fernando Pessoa, 0: 36-37, fev.1996.

LANCIANI, Giulia. Aporias da escrita. Letras & Letras. Porto, 18 dez.1991. p.10-11.

LANCIANI, Giulia. “Aporie scritturali”, Studi Memoria di Erilde Melillo Reali, Instituto Universitari Orientali, Nápoles, 1989, p. 119-124. Rep. “Aporias da escrita”, in Letras & Letras, V.61, 18 dez. 1991, p. 10-11.

LEPECKI, Maria Lúcia. Textos sobre o medo, violência e remorsos, in Diário de Notícias, 1 julho, 1990, p. 10.

LOPES, David. “Finisterra: uma pintura escrita”, in Carlos de Oliveira. 50 Anos na Literatura Portuguesa, Lisboa, 1992 (cf. Iconografia).

LOPES, Silvina Rodrigues. “Bless you are”, in Ruínas, Quatro Elementos Editores, Lisboa, 1990, p. 49-58. Rep. Parcialmente com o título “Sobre Finisterra, de Carlos de Oliveira”, Aprendizagem do Incerto. Lisboa: Litoral, 1990, p. 77-86.

LOPES, Silvina Rodrigues. Sobre Finisterra, de Carlos de Oliveira. In: LOPES, Silvina Rodrigues. Aprendizagem do incerto. Lisboa: Litoral, 1990. p. 77-86.

LOPES, Silvina Rodrigues. Carlos de Oliveira: o testemunho inadiável. Sintra: Câmara Municipal, 1996.

MALÍCIA, Manuel. Mãe Pobre: um itinerário popular?, in Letras & Letras, V, 61, 18 dez. 1991, p. 9

MARTELO, Rosa Maria. Reescrita e efeito de invariância em Trabalho Poético de Carlos de Oliveira, in Colóquio / Letras, n. 135/136, jan.1995, p. 145-155. http://coloquio.gulbenkian.pt/cat/sirius.exe/issueContentDisplay?n=135&p=145&o=p

MARTELO, Rosa Maria. Carlos de Oliveira e a Referência em Poesia. Porto: Campo Das Letras, 1998.

MENEZES, Salvato Telles. Carlos de Oliveira: realismo poético, poética do realismo in Jornal de Letras, Artes e Ideias, 16/7/ 91, p. 7

MONTEIRO, João César. “A dor não é um mineral”, in Jornal de Letras, Artes e Ideias, XI, 469, 2 jul 1991, p. 18.

MORÃO, Paula. Carlos de Oliveira: a matéria da poesia. In: BASÍLIO, Kelly e GUSMÃO, Manuel (org.). Poesia & ciência. Lisboa: Cosmos e G.U.E.L.F- Groupe Universitaire d’Études de Littérature Française, 1994. p.137-147.

NUNES, Natália. A ressurreição das florestas. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1997.

ROCHA, Luís Miranda. Carlos de Oliveira : uma casa gandaresa, in Letras e Letras, n° 89, 17 fevereiro 1993.

ROCHA, Luís Miranda. A Gândara na poesia de Carlos de Oliveira, in Letras e Letras, n° 110, julho, 1994, p.21-24.

RODRIGUES, Urbano Tavares. O desejo da perfeição. Jornal de Letras, Artes e Ideias. Lisboa, 28 jul. 1992. p.16-17.

RODRIGUES, Urbano Tavares. “Carlos de Oliveira e o seu condado mágico”, in Carlos de Oliveira, 50 anos na Literatura Portuguesa (1942-1992). Câmara Municipal de Lisboa, Museu do Neo-Realismo, Município de Vila Franca de Xira, AMASCULTURA (Padrão dos Descobrimentos 2/12 de julho de 1992), Lisboa, 1992.

RUBIM, Gustavo. “A poesia como trabalho – Carlos de Oliveira e a experiência de rarefacção”, in Vértice, IIª série, 38, mai 1991, p. 45-53.

SANTOS, João Camilo dos. Apresentação de um romancista neo-realista: Carlos de Oliveira, in Vértice, Lisboa, nº 38, 1991. p. 25-43.

SANTOS, João Camilo dos. O último neo-realismo de Carlos de Oliveira – Finisterra, Paisagem e Povoamento, in Vértice, Lisboa: Caminho [proceedings of the Oporto Colloquium of 1996], p. 12-16.

SANTOS, João Camilo dos. Sobre  O Aprendiz de Feiticeiro, de Carlos de Oliveira. LIMA, Isabel Pires de et al. (Orgs). Sentido que a Vida Faz, homenagem a Oscar Lopes. Porto: Campo das Letras, Porto, 1997. p. 429-439.

SANTOS, João Camilo dos. Carlos de Oliveira –  Os romances e outros textos em prosa. Fichas para um dicionário do neo-realismo, in Arquivos do Centro Cultural Português, Vol. XXXVII, Fondation C.  Gulbenkian, Paris, 1998, ps. 591-631.

SANTOS, João Camilo dos. Sobre  O Aprendiz de Feiticeiro, de Carlos de Oliveira ,

SERRANO, Luís. “Dois poemas de Micropaisagem”, in Letras & Letras, V, 61, 18 dez 1991, p. 11-12.

SILVESTRE, Osvaldo Manuel. Slow motion: Carlos de Oliveira e a pós-modernidade. Braga: Angelus Novus, 1995.

SILVESTRE, Osvaldo Manuel.(sel., quadros cronológicos, introd. bibliogr. select. e notas). Trabalho poético (antologia) de Carlos de Oliveira. Braga – Coimbra: Angelus Novus, 1996.

SIMÕES, João Gaspar, “Carlos de Oliveira”, in Crítica II. Poetas Contemporâneos (1938-1961). 2a. ed. Lisboa, INCM, 1999.

SOARES, Francisco. Ritos de passagem – situação de uma poesia. Letras & Letras, 18 dez. 1991. p. 6.

TEIXEIRA, Paulo. Transparência e harmonia. Jornal de letras, artes e ideias. Lisboa, 2 jul. 1992. p.18.

TORRES, Alexandre Pinheiro.. Um universos estético. Jornal de letras, artes e ideias. Lisboa, 2 jul. de 1991. p. 17.

VAL, Terezinha de Jesus da Costa. Estrutura/escritura em Casa na Duna de Carlos de Oliveira. Boletim do SEPESP. Rio de Janeiro, UFRJ, 4: 69-80, [1991].

VAL, Terezinha de Jesus da Costa. Finisterra: uma textura em contraponto. Anais do XIII Encontro de Professores Universitários Brasileiros de Literatura Portuguesa. Rio de Janeiro, UFRJ, FUJB, Fund. Cultural Brasil Portugal, Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1992. p. 239-245

VIÇOSO, Vitor. Finisterra de Carlos de Oliveira: os simulacros e as metamorfoses do real. Vértice (II. série).Lisboa, 38 e 39, maio 1991. pp. 9-24 e 69-78.

No século XXI

Nos anos 2001 a 2009

ALVES, Ida. Cultivar o Deserto – Encontro entre Carlos de Oliveira e João Cabral de Melo Neto. Convergência Lusíada. , v.2, p.174 – 182, 2001.

ALVES, Ida. As paisagens poéticas de Carlos de Oliveira In: Literaturas de abril e outros estudos.1 ed.Niterói: EdUFF, 2002, p. 175-194.

ALVES, I. F. A poesia na margem: Carlos de Oliveira e Ruy Belo In: XIX Encontro Brasileiro de Professores de Literatura Portuguesa – ABRAPLIP, 2004, Curitiba. Anais  Imaginário – o não-espaço do real – anais 2003 da ABRAPLIP. Curitiba: UFPR, 2004. p.419 – 425

ALVES, Ida. Pastoral e Finisterra, de Carlos de Oliveira: linguagem e paisagem moventes. DUARTE, Lélia Parreira (org). A escrita da finitude de Orfeu e de Perséfone. Belo Horizonte: Veredas e Cenários, 2009, p. 61-76.

EIRAS, Pedro. A medição das estrelas – sobre a poesia de Carlos de oliveira, in Revista Relâmpago. Carlos de Oliveira. [ensaios, duas cartas, testemunhos]. Lisboa: Fund. Luis Miguel Nava, n. 11, out. 2002. p.83-106.

ESTEVES, José Manuel da Costa. La poésie de Carlos de Oliveira: une bombe prête à exploser. GOMEZ, Thomas (direction). Variation autour de la poésie. Hommage à Bernard Sesé, vol. I, Nanterre, Centre de Recherches Ibériques et Ibéro-Américaines de l’Université de Paris-Nanterre, CRIIA, 2002. p. 149-170.

ESTEVES, José Manuel da Costa. Casa na Duna de Carlos de Oliveira: os olhos incendiados de Mariano Paulo ou a impossibilidade de compreensão da História, in Revue Les langues Néo-latines. Journée de réflexion sur les auteurs des programmes des Concours d’Agrégation et de Capes de Portugais, supplément au nº 315, Paris, 2000. p. 89-112.

ESTEVES, José Manuel da Costa. Paisagem e silêncio na colmeia dos Silvestres em Uma Abelha na Chuva de Carlos de Oliveira (1953) e sua transposição cinematográfica por Fernando Lopes (1971). OLIVEIRA, Anabela Branco de; MOREIRA, Fernando Torres; SANTOS, Idelette Muzart-Fonseca dos; ESTEVES, José Manuel da Costa (Coord. e Org.) Diálogos Lusófonos: Literatura e Cinema. Literatura, Cinema e Multiculturalismo no Mundo Lusófono 2006-2007, Centro de Estudos de Letras, UTAD: Vila Real, 2008, p. 101-115.

ESTEVES, José Manuel da Costa. La littérature portugaise contemporaine. Le plaisir du partage, Paris: L’Harmattan,  2008. [Os três estudos anteriores foram publicados em francês neste volume: pp. 13-31; pp. 33-52; pp. 53-68.]

GUSMÃO, Manuel. Finisterra: tatuagem e palimpsesto – apontamentos, in Revista Relâmpago. Carlos de Oliveira. [ensaios, duas cartas, testemunhos]. Lisboa: Fund. Luis Miguel Nava, n. 11, out. 2002. p.51-82.

MARTELO, Rosa Maria. Retrato do artista enquanto reescritor, in Revista Relâmpago. Carlos de Oliveira. [ensaios, duas cartas, testemunhos]. Lisboa: Fund. Luis Miguel Nava, n. 11, out. 2002. p. 107-120.

MARTINHO, Fernando. Carlos de Oliveira, Guernica, in Jornal de Letras, Artes e Ideias, n°  937, 30 agosto, 2006. p. 17-18.

MORÃO, Paula,. A floresta da Amazónia e outras memórias na poesia de Carlos de Oliveira, in Literatura Brasileira em questão (org. Arnaldo Saraiva e Francisco Topa), Porto, Centro de Estudos Brasileiros da Faculdade de Letras do Porto, 2000, p. 309-316.

NUNES, José Ricardo. “Devia chamar-se acaso?” – o trabalho do corpo na poesia de Carlos de Oliveira, in Revista Relâmpago. Carlos de Oliveira. [ensaios, duas cartas, testemunhos]. Lisboa: Fund. Luis Miguel Nava, n. 11, out. 2002. p. 19-50.

PITTA, Eduardo, “ Carlos de Oliveira”, in Aula de Poesia. Lisboa, Quetzal, 201. p. 73-76.

PREVEDELLO, Tatiana. Emanações dos infernos: metáforas da (des)construção na poesia de Carlos de Oliveira. Cadernos do IL. Porto Alegre, n.º 43, dezembro de 2011. p. 364-379.

SERRA, Pedro (org.) et al. Uma Abelha na Chuva. Uma Revisão. Braga: Angelus Novus, 2003.

SERRA, Pedro. Nota Final : Carlos de Oliveira e o Fim na Filologia. Salamanca: Ambos Mundos, 2004.

SIMÕES, João Gaspar, “ Carlos de Oliveira”, in Crítica III. Romancistas Contemporâneos (1942-1961).2.ed., Lisboa, INCM, 2001.

Anos 2010

ALVES, Ida. Carlos de Oliveira e Jorge de Sena: paisagens de rigor e testemunho. Metamorfoses. Revista da Cátedra Jorge de Sena da Faculdade de Letras da UFRJ. , v.11.1, p.79 – 90, 2011.

ALVES, Ida Ferreira. O Aprendiz de Feiticeiro: a máquina nos meus olhos / The sorcerer’s aprentice: the machine in my eyes. Pessoa revista de ideias a magazine with ideas. Lisboa, p.134 – 146, 2011.

ALVES, Ida Uma obra sem fim : Em torno de «Finisterra» 33 anos depois [crítica a ‘Depois do Fim : nos 33 Anos de Finisterra, Paisagem e Povoamento de Carlos de Oliveira’, de AA. VV.] / Ida Alves. In: Revista Colóquio/Letras. Notas e Comentários, n.º 183, Maio 2013, p. 168-175.

ALVES, Ida (org.) Coisas desencadeadas estudos sobre a obra de Carlos de Oliveira. Rio de Janeiro: Oficina Raquel, 2013 p.178.

ALVES, Ida. Carlos de Oliveira e a outra margem do mar In: Relações Luso-Brasileiras Imagens e Imaginários.1 ed.Rio de Janeiro: Oficina Raquel, 2019, v.1, p. 263-275.

AMORIM, Bernardo Nascimento de. Rupturas e continuidades na poesia de Carlos de Oliveira. In: SILVA, Rogério Barbosa da; OLIVEIRA, Silvana Maria Pessôa de; MOREIRA, Wagner. Escritos sobre poesia. Belo Horizonte: Scriptum, 2011. (Coleção Homenagemàpoesia). p. 51-74. 

ATHAYDE, Manaíra Aires. O sempre movente iceberg, ou do espólio ao arquivo institucional, in Carlos de Oliveira: a parte submersa do iceberg. Catálogo da Exposição, 18 mar. A 29 out. 2017. Curadoria de Osvaldo Silvestre. Museu do Neo-Realismo – Câmara Municipal de Vila Franca de Xira.p. 58-81.

BAPTISTA-BASTOS. “Carlos de Oliveira: o instinto insatisfeito” In: Revista Colóquio/Letras. Homenagem, n.º 195, Maio 2017, p. 120-123.

GERALDO, José. Dizer a poesia de Carlos de Oliveira: Maria Barroso e Manuela Porto, in Colóquio Letras, Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, n. 195, mai. ago. 2017, p.49-60.

GUSMÃO, Manuel. “Leitura”, de Carlos de Oliveira (2002). GUSMÃO, Manuel. Tatuagem & palimpsesto da poesia em alguns poetas e poemas. Lisboa: Assírio & Alvim, 2010. p.307-314.

GUSMÃO, Manuel. A arte da poesia em Carlos de Oliveira (2001, 2009). GUSMÃO, Manuel. Tatuagem & palimpsesto da poesia em alguns poetas e poemas. Lisboa: Assírio & Alvim, 2010. p.315-338.

GUSMÃO, Manuel. Carlos de Oliveira e Herberto Helder: ao encontro do encontro (2000). GUSMÃO, Manuel. Tatuagem & palimpsesto da poesia em alguns poetas e poemas. Lisboa: Assírio & Alvim, 2010. p.339-361.

MATEUS, Rui. Reescrever o definitivo, in Colóquio Letras, Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, n. 195, mai. ago. 2017. p. 34-48.

MATEUS, Rui. Plaina, mesa, abat-jour. Visita aos subterrâneos da poesia de Carlos de Oliveira, in Carlos de Oliveira: a parte submersa do iceberg. Catálogo da Exposição, 18 mar. A 29 out. 2017. Curadoria de Osvaldo Silvestre. Museu do Neo-Realismo – Câmara Municipal de Vila Franca de Xira.p. 96-141.

MATEUS, Rui Manuel Afonso. Recreio e recriação. Dois nomes para a reescrita de Sá de Miranda e Manuel Bandeira em Carlos de Oliveira. Revista do Centro de Estudos Portugueses, [S.l.], v. 37, n. 57, p. 97-113, ago. 2017. Disponível em: <http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/cesp/article/view/11692>

MESQUITA, Alberto. Carlos de Oliveira, a exposição necessária, in Carlos de Oliveira: a parte submersa do iceberg. Catálogo da Exposição, 18 mar. A 29 out. 2017. Curadoria de Osvaldo Silvestre. Museu do Neo-Realismo – Câmara Municipal de Vila Franca de Xira.p. 6-9.

NAMORA, Ricardo. Uma outra Finisterra para Carlos de Oliveira, in Colóquio Letras, Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, n. 195, mai. ago. 2017. p.61-78.

NAMORA, Ricardo. E o verbo estava com Cesário, in Carlos de Oliveira: a parte submersa do iceberg. Catálogo da Exposição, 18 mar. A 29 out. 2017. Curadoria de Osvaldo Silvestre. Museu do Neo-Realismo – Câmara Municipal de Vila Franca de Xira.p. 82-95.

NDOUR, Paul Ngor Mack. Les figures de la décadence dans le roman de Carlos de Oliveira – Tome 1. Les figures actantielles du déclin, Beau Bassin, Editions Universitaires Européennes, 2018. 180p. https://www.morebooks.de/store/gb/book/les-figures-de-la-d%C3%A9cadence-dans-le-roman-de-carlos-de-oliveira/isbn/978-613-8-44346-9

NDOUR, Paul Ngor Mack. Les figures de la décadence dans le roman de Carlos de Oliveira – Tome 2 : (d)écrire la Gândara, les figures spatiotemporelles de la déchéance, Beau Bassin, Editions Universitaires Européennes, 2018. 226 p.

NDOUR, Paul Ngor Mack. Les figures de la décadence dans le roman de Carlos de Oliveira–Tome 3 : une vision utopiste de la ruine, Beau Bassin, Editions Universitaires Européennes, 2019. 237p.

NDOUR, Paul Ngor Mack. Como Pompeia, representação dos edifícios religiosos católicos em Húmus de Raul Brandão, Esteiros de Soeiro Pereira Gomes e Pequenos burgueses de Carlos de Oliveira , in Les Cahiers du CREILAC, Revue interdisciplinaire des Lettres, Arts et Sciences Humaines de l’université Assane SECK de Ziguinchor- Sénégal, Volume 3, 2019, p.257-272.

PEREIRA, Patrícia Resende. A descrição da Guerra em Guernica por Carlos de Oliveira. Revista Desassossego, 7(13), 2015. p.79-91. https://www.revistas.usp.br/desassossego/article/view/96722/101130

PEREIRA, Patrícia Resende. O momento em que o obturador é disparado: fotografia e poesia em ‘Fotomontagem’, de Carlos de Oliveira. Tamanha Poesia, Belo Horizonte, edição especial, 2016. p. 440-448.
https://tamanhapoesia.files.wordpress.com/2016/11/tamanhapoesiaespecialpoesiaportuguesa3.pdf

PEREIRA, Patrícia Resende. A natureza variável das palavras: a colagem poética na poesia de Carlos de Oliveira. eLyra, 12/2018, p. 113-131.https://elyra.org/index.php/elyra/article/view/267/312

PEREIRA, Patrícia Resende. O artifício copia a natureza, mas os fenômenos são gêmeos: mise en abîme e metalepse no filme Carlos de Oliveira – Sobre o lado esquerdo (2007), de Margarida Gil. Todas as musas: revista de literatura e das múltiplas linguagens da arte , Ano 10 Número 02 jan-jun 2019, p. 117-126. 
https://www.todasasmusas.com.br/20Patricia_Resende.pdf

REVISTA Colóquio Letras [artigos, documentos de Carlos de Oliveira – Evocação de João José Cochofel, carta inédita para Benjamin Abdala Júnior, carta inédita para Giulia Lanciani e depoimentos de Benjamin Abdala Júnior, Maria Lúcia Dal Farra, Baptista-Bastos, Gastão Cruz e Giulia Lanciani], Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, n. 195, mai. ago. 2017.

ROQUE, Renato. Escrito com cal e com luz. A partir da poética visual de Carlos de Oliveira. [“foi escrito para acompanhar um /ensaio fotográfico com o mesmo nome, inspirado na obra literária de Carlos de Oliveira, em especial no seu livro Micropaisagem, de 1968 […]”. Download possível em https://www.academia.edu/27870100/ESCRITO_COM_CAL_E_COM_LUZ_A_partir_da_po%C3%A9tica_visual_de_Carlos_de_Oliveira

ROQUE, Renato. Escrito com cal e com luz. [fotografias Renato Roque; textos Renato Roque e Rosa Maria Martelo]. Lisboa: Edição de Autor. Produção XYZ Books, 2017. https://revistacaliban.net/escrito-com-cal-e-com-luz-ensaio-fotogr%C3%A1fico-sobre-a-po%C3%A9tica-de-carlos-de-oliveira-85e5b2e38f5c

ROWLAND, Clara. Quadros do mundo, in Colóquio Letras, Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, n. 195, mai. ago. 2017. p. 79-92.

SABINO, Ana. “Passou sem beliscaduras o teste de Gutemberg”: o espólio gráfico de Carlos de Oliveira, in Carlos de Oliveira: a parte submersa do iceberg. Catálogo da Exposição, 18 mar. A 29 out. 2017. Curadoria de Osvaldo Silvestre. Museu do Neo-Realismo – Câmara Municipal de Vila Franca de Xira.p. 20-57.

SILVESTRE, Osvaldo Manuel (org.). Depois do Fim. Nos 33 anos de Finisterra. Paisagem e Povoamento, de Carlos de Oliveira. Coimbra: CLP, 2011. [com textos de Osvaldo Manuel Silvestre, Nuno Júdice, Luís Mourão e Pedro Serra]

SILVESTRE, Osvaldo. Carlos de Oliveira: a parte submersa do iceberg, in Carlos de Oliveira: a parte submersa do iceberg. Catálogo da Exposição, 18 mar. A 29 out. 2017. Curadoria de Osvaldo Silvestre. Museu do Neo-Realismo – Câmara Municipal de Vila Franca de Xira.p. 14-19.

SILVESTRE, Osvaldo. Carlos de Oliveira no Museu do Neo-Realismo, in Carlos de Oliveira: a parte submersa do iceberg. Catálogo da Exposição, 18 mar. A 29 out. 2017. Curadoria de Osvaldo Silvestre. Museu do Neo-Realismo – Câmara Municipal de Vila Franca de Xira.p. 142-151.

SILVESTRE, Osvaldo Manuel. A poesia póstuma de Carlos de Oliveira, in Colóquio Letras, Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, n. 195, mai. ago. 2017. p. 9-32.

Anos 2020

ALVES, Ida. Carlos de Oliveira, escrever pela noite dentro. Metamorfoses. Revista da Cátedra Jorge de Sena da Faculdade de Letras da UFRJ. , v.16, 2020. p.137 – 147. https://revistas.ufrj.br/index.php/metamorfoses/article/view/28255

FEIJÓ, António M.; FIGUEIREDO, João R.; TAMEN, Miguel (Org.). Carlos de Oliveira. O Cânone. Lisboa: Tinta-da-China e Fund. Cupertino de Miranda, 2020).

NDOUR, Paul Ngor Mack. « La parole du mythe dans Petits bourgeois de Carlos de Oliveira : une réfutation néo-réaliste du principe de répétition » in Liens Nouvelle série, Revue Francophone internationale de la Faculté des Sciences et Technologies de l’Education et de la Formation de l’Université Cheikh Anta DIOP de Dakar, N°30/Décembre 2020. p. 279- 297.

PEREIRA, Patrícia Resende. A terceira mão é a outra hipótese tentada: Manuel Gusmão continua a poesia de Carlos de Oliveira em A terceira mão (2008). Remate de males, Campinas-SP, v.40, n.1, jan./jun. 2020. p. 236-257
https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/view/8657210/22554

DISSERTAÇÕES E TESES:

Século XX

Anos 60

COELHO, Eduardo Prado. Carlos de Oliveira ou a génese difícil da harmonia, cap. VI de O tema da poesia na moderna poesia portuguesa. Tese de licenciatura, Faculdade de Letras de Lisboa, 1969, p. 103-131. Republicado in: COELHO, Eduardo Prado A palavra sobre a palavra. Porto: Portucalense, 1972. p. 105-131.

Anos 70

ABDALA JR., Benjamin. O processo de fundamentação da escritura nos romances de Carlos de Oliveira. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Univ. de São Paulo, São Paulo, Brasil, 1974. [Dissertação de Mestrado em Literatura Portuguesa – foi publicada em livro]

ABDALA JR., Benjamin. Representação e participação: a dinâmica do concreto nos romances de Carlos de Oliveira e Graciliano Ramos. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Univ. de São Paulo, São Paulo, Brasil, 1977. [Tese de Doutorado em Literatura Portuguesa – foi publicada em livro]

HANSEN, João Henrique. A perspectiva neo-realista de ‘Uma Abelha na Chuva, dissertação de Mestrado, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Univ. De São Paulo, São Paulo, Brasil, 1979.

VAL, Terezinha de Jesus da Costa. O lugar poético de Casa na Duna. Rio de Janeiro: Fac. de Letras da Univ. Federal do Rio de Janeiro, 1977. [Dissertação de Mestrado em Literatura Portuguesa].

Anos 80

BENEDETTI, Catice. Trabalho Poetico – Approdo Macrotestuale dell’Oppera Poética di Carlos de Oliveira, tesi di Laurea, Univ. di Perugia, Italia, 1986-87.

CAMILO DOS SANTOS, João. Techniques, Thèmes et art du Roman, un ExemplePortugais: Uma Abelha na Chuva de Carlos de Oliveira. Thèse pour Doctorat en Lettres, Univ. De Haute-Bretagne, Rennes, França, 1983.

OROFINO, Orlando. Trabalho Poético de Carlos de Oliveira. Depart. de Letras, Pontifícia Univ. Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1980. [Dissertação de Mestrado em Literatura Portuguesa].

VIÇOSO, Vítor. Finisterra de Carlos de Oliveira: os simulacros e as metamorfoses do real, tese complementar de Doutoramento, Univ. de Lisboa, Lisboa, 1988. Rep. Vértice, IIª série, 38 e 39, mai. E jun. 1991, p. 9-24 e 69-78.

Anos 90

ALVES, Ida Maria S. F. As Paisagens Poéticas de Carlos de Oliveira. Defesa em 01/05/1990. 102 F. Mestrado em Letras. Instituição de Ensino: Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ.

BARBOSA, Marcia Helena Saldanha. Comunicação Literária na Poesia de Carlos de Oliveira. Defesa em 01/08/1992. 126 F. Mestrado em Lingüística e Letras. Instituição de Ensino: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

CIZOTTO, Bellinem Ana Helena. A Representacão da Mulher na Ficção de Carlos de Oliveira e de Manuel Ferreira. Defesa em 01/10/1995 300 F. Doutorado em Letras (Est.Comp. de Liter. de Língua Portuguesa) Instituição de Ensino: Universidade de São Paulo, São Paulo.

COSTA, Deolinda. Finisterra de Carlos de Oliveira – Lugar de Eleição. Lisboa: Universidade Nova de Lisboa, 1990. [Dissert. de Mestrado em Literatura Portuguesa]

MACHADO, Lino. As Palavras e As Cores (Guernica (E Mais) Na Caligrafia de Carlos de Oliveira. Niterói: Instituto de Letras – Universidade Federal Fluminense, 1998. [Pós-Doutoramento em Literatura Portuguesa].

MARTINS, António Manuel. O jogo da verdade: perspectivas e materializações do olhar em Finisterra de Carlos de Oliveira. Lisboa: Universidade Nova de Lisboa, 1994. [Dissertação de Mestrado em Estudos Anglo Portugueses]

NETO, Anselmo Pessoa. Paisagens do Neo-Realismo. Defesa em 01/12/1999. 156 F. Doutorado em Letras (Est.Comp. de Liter. de Língua Portuguesa) Instituição de Ensino: Universidade de São Paulo, São Paulo.

OLIVEIRA, Zilda Freitas de. Casa na Duna, de Carlos de Oliveira: Uma Escrita Cinematográfica. Defesa em 01/12/1993 115 F. Mestrado em Letras Instituição de Ensino: Universidade Federal Fluminense, Niterói.

PARRADO, Luís Filipe Praxedes. Por Uma Voz Própria: A Questão Intertextual em Terra de Harmonia de Carlos de Oliveira. Lisboa: Universidade de Lisboa, 1996. [Dissert. de Mestrado Lit. Port. Contemporânea]

PEREIRA, José Paulo. Da descrição À Memória: Uma Cartografia Transtornada. Lisboa: Universidade de Lisboa, 1995. [Dissert. Mestr. Lit. Comparada].

PEREIRA, Maria Eduarda Pais Vassalo. Carlos de Oliveira, “Na Floresta” de O Aprendiz de Feiticeiro. Lisboa: Universidade de Lisboa. 1997. [Prova Complementar Dout. Lit. Port.].

PEREIRA, Rosa Maria Martelo Fernandes. A Construção do Mundo na Poesia de Carlos de Oliveira. Porto: Faculdade de Letras da Universidade do Porto, 1996. [Dissertação Para Doutoramento em Letras, Especialidade de Literatura Portuguesa].

SANTOS, Acacio Luiz. Construção do Tempo em Finisterra, de Carlos de Oliveira – Processos e exegese. Defesa em 01/08/1993. 98 F. Mestrado em Letras (Letras Vernáculas) Instituição de Ensino: Universidade Federal Do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

VAL, Terezinha de Jesus da Costa. O Lugar Poetico da Escrita de Carlos de Oliveira. Defesa em 01/03/1994 126 F. Doutorado em Letras (Letras Vernáculas) Instituição de Ensino: Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Anos 2000

ALVES, Ida Maria Santos Ferreira. Carlos de Oliveira e Nuno Judice – Poetas: Personagens da Linguagem. Defesa em 01/05/2000. 335 F. Doutorado em Letras (Letras Vernáculas) Instituição de Ensino: Universidade Federal do Rio de Janeiro, RJ.

BARROS, Chimena Meloni Silva de. Neo-Realismo e Poesia: do Ideológico ao Estético. Defesa em 01/03/2010. 268 F. Doutorado em Estudos Literários Instituição de Ensino: Universidade Est.Paulista Júlio de Mesquita Filho/Araraquara, São Paulo.

CÉSAR, Maria Cecília de Salles Freire. As Representações do Imaginário Popular nos Romances de Carlos de Oliveira. Defesa em01/08/2007. 202 F. Doutorado em Letras (Est.Comp. de Liter. de Língua Portuguesa) Instituição de Ensino: Universidade de São Paulo, São Paulo.

COELHO, Cláudia. Memória e Metapoesia em João Cabral de Melo Neto e Carlos de Oliveira. Defesa em 01/05/2011. 144 F. Doutorado em Letras (Est.Comp. de Liter. de Língua Portuguesa) Instituição de Ensino: Universidade de São Paulo, São Paulo.

DUARTE, Gonçalo. O Trágico em Graciliano Ramos e em Carlos de Oliveira (Uma análise apoiada pelos romances São Bernardo e Casa na Duna) . Dissertação de Mestrado em Literatura Comparada, Estudos Portugueses, apresentada à Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, 2004. Publicada com o mesmo título, Coimbra, Angelus Novus, 2008.

GANDOLFI, Leonardo. Mundo Comum e Povoamento da Paisagem – Ler com O Aprendiz de Feiticeiro de Carlos de Oliveira. Defesa em 01/02/2007. 119 F. Mestrado em Letras Instituição de Ensino: Universidade Federal Fluminense, Niterói. RJ.

GARBIERI, Marisa. Caminhos Cruzados: um Estudo Comparativo entre São Bernardo e Casa na Duna. Defesa em 01/03/2001. 146 F. Mestrado em Letras (Est.Comp. de Liter. de Língua Portuguesa) Instituição de Ensino: Universidade de São Paulo, São Paulo.

GOMES, Aline Rodrigues. Carlos de Oliveira: nas Ruínas da Liberdade & Alguns Retratos do Neo-Realismo em Casa Na Duna e Uma Abelha na Chuva. Defesa em 01/09/2008. Mestrado em Letras Instituição de Ensino: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

LAUREANO, Maria Helena. Mãe Pobre: um Livro de Combate Ideológico. Defesa em 01/11/2009. 90 F. Mestrado em Letras Instituição de Ensino: Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

NUNES, Michelle. Carlos de Oliveira – Entre a Palavra e o Silêncio: A Memória na Grafia Calcária de “Micropaisagem”. Defesa em01/11/2003. 97 F. Mestrado em Letras (Letras Vernáculas) Instituição de Ensino: Universidade Federal Do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

OLIVEIRA, Lucia Nascimento de. Representação do Tempo e do Espaço na Narrativa de Carlos de Oliveira. Defesa em 01/04/2005. 108 F. Mestrado em Letras Instituição de Ensino: Universidade Federal Fluminense, Niterói.

SANTOS, Carlos Alberto Stowasser. Os Enfrentamentos do Sujeito, em Finisterra de Carlos de Oliveira, Imagens e Mitos. Defesa em01/09/2000. 92 F. Mestrado em Letras (Letras Vernáculas) Instituição de Ensino: Universidade Federal Do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro : Faculdade de Letras / UFRJ.

SOUZA, Neide Sônia Rodrigues de. Casa Na Duna – Uma Leitura Sócio-Estilística. Defesa em 01/04/2000. 91 F. Mestrado em Letras (Literatura Portuguesa) Instituição de Ensino: Universidade de São Paulo, São Paulo: FFLCH/ USP.

2010 à Atualidade

ERTHAL, Aline Duque. Deserto Excessivo: Convivência de Múltiplos em António Ramos Rosa, Carlos de Oliveira e Luís Miguel Nava. Defesa em 15/03/2017. 225 F. Doutorado em Estudos de Literatura Instituição de Ensino: Universidade Federal Fluminense, Niterói.

HOFFMANN, Alana Francisca da Silva. Entre o silêncio dos pinhais e a solidão das paredes: a composição das personagens e sua relação com o espaço em Casa na Duna, de Carlos de Oliveira. Defesa em 28/02/2020. 122 P. Mestrado em Letras (Estudos Literários) Instituição de Ensino: Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande do Sul.

MOREIRA, Fábio da Fonseca. O Desejo de Transformação em Casa na Duna, de Carlos de Oliveira Defesa em 01/03/2010 80 F. Mestrado em Letras Instituição de Ensino: Pontifícia Universidade Católica Do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

NDOUR, Paul Ngor Mack. Les figurations de la décadence dans la tétralogie de la Gândara de Carlos de Oliveira, Tese de doctorat unique, présentée et soutenue publiquement le 16 décembre 2013, sous la direction de Maria Graciete BESSE, Université Paris Sorbonne- Paris IV. Acesso em: http://www.theses.fr/2013PA040168

PEREIRA, Patricia Resende. Cada Poema Já Sonha Outra Forma: Poesia e Poética Cinematográfica em Carlos de Oliveira e Manuel Gusmão. Defesa em 21/08/2018. 230 F. Doutorado em Estudos Literários Instituição de Ensino: Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

SEEGER, Gisele. Finisterra e os modos de povoar uma paisagem: estratégias de configuração da perspectiva narrativa. Defesa em 27/02/2020. 134 P. Mestrado em Letras (Estudos Literários) Instituição de Ensino: Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande do Sul. Acesso em: https://www.academia.edu/42244133/Finisterra_e_os_modos_de_povoar_uma_paisagem_estrat%C3%A9gias_de_configura%C3%A7%C3%A3o_da_perspectiva_narrativa

YOSHIDA, Miguel Makoto Cavalcanti. De São Bernardo a Casa na Duna: Caminhos do (Neo)Realismo no Macrossistema Literário de Língua Portuguesa. Defesa em 30/10/2013. 121 F. Mestrado em Letras (Est.Comp. de Liter. de Língua Portuguesa) Instituição de Ensino: Universidade de São Paulo, São Paulo.

ICONOGRAFIA

Retratos

Armindo Rodrigues – retrato. Em Carlos de Oliveira, Terra de Harmonia, Lisboa, Centro Bibliográfico, 1950 (edição especial) (reproduzido em Vértice, XXIII, n. 238, jul.1963, p. 387, e XXV, n. 256, jan.1965, p.70.

João Abel Manta – retrato (Carlos de Oliveira e Camilo). Cartoons, 1969-1975, Lisboa, Edições O Jornal, 1975.

João Abel Manta – dois retratos. Em Jornal de Letras, Artes e Ideias, I, 8, Lisboa, 9 a 22 jun. 1981.

Júlio Pomar – retrato. Em Carlos de Oliveira, Colheita Perdida (edição especial), Coimbra, 1948 (reproduzido em Vértice, XXXIII, n. 354-5, jul. / ago. 1973, p.690)

Lima de Freitas – retrato a óleo, 1952.

Manuel Mendes – retrato. Em Carlos de Oliveira, Descida aos Infernos, Porto, 1949 (reproduzido em Vértice, XXXIII, n. 2354-5, jul. / ago. 1973, p. 690.

Nikias Skapinakis – retrato a óleo, s/d (anos 60) (reproduzido em Vértice, XLII, n. 450/451, set. Out. /nov. Dez. 1982).

Soares – caricatura. No Livro dos Quartanistas de Letras, Coimbra, 1946 (?) (reproduzido em Vértice, XLII, n. 450/451, set. Out. /nov. Dez. 1982.

Vasco – retrato. Em Diário de Notícias de 9.11.78 (reproduzido em Diário de Notícias, de 4.11.82).

CATÁLOGOS DE EXPOSIÇÃO

Carlos de Oliveira. 50 Anos na Literatura Portuguesa. Catálogo de Exposição Documental (12 a 27 de junho, no Centro Cyultura Malaposta; 2 a 12 de julho, no Padrão dos Descobrimentos), org. Do Centro de Documentação do Neo-Realismo, ed. Do Museu do Neo-Realismo – Município de Vila Franca de Xira, AMASCULTURA e Câmara Municipal de Lisboa, 1992. (inclui fotografias com o Autor e amigos).

Carlos de Oliveira. 50 Anos na Literatura Portuguesa. (para a Exposição do Padrão dos Descobrimentos, de 2 a 12 de julho de 1992), edição da Câmara Municipal de Lisboa, Museu do Neo-Realismo – Município de Vila Franca de Xira, AMASCULTURA, 1992. (Inclui designadamente reproduções de uma pintura de Carlos de Oliveira, dos retratos do Autor por Nikias Skapinakis, Armindo Rodrigues e Júlio Pomar, e de fotografias com o Autor e amigos.).

Carlos de Oliveira: a parte submersa do iceberg. Exposição, 18 mar. A 29 out. 2017. Curadoria de Osvaldo Silvestre. Museu do Neo-Realismo – Câmara Municipal de Vila Franca de Xira. 193 p.

DISCOGRAFIA

Discos – poemas ditos

Maria Barroso – Carlos de Oliveira. Poesia. Antologia I. Guilda da Música, 1974. Poemas do Novo Cancioneiro (abrange os poetas do “Novo Cancioneiro”, incluindo Carlos de Oliveira). Decca, “A Voz e o Texto”, 19.

Laura Soveral – Uma Abelha na Chuva. Poemas de Carlos de Oliveira; banda sonora do filme homónimo de Fernando Lopes, Guilda da Música

CD

Poesias de Carlos de Oliveira . Poemas ditos por João Grosso, Ed. Presença, Lisboa, 1995.

Poemas cantados

Coro da Academia de Amadores de Música, Fernando Lopes-Graça – Canções Heróicas Canções Regionais Portuguesas. (Canções com poemas de vários poetas, incluindo três de Carlos de Oliveira.). Valentim de Carvalho, “A Voz do Dono”, 1974.

Luís Cilia. La poésie portugaise. (Inclui 4 poemas de Carlos de Oliveira, com música de L. Cília). Moshe-Naim, 1969 (MN 10 005)

Manuel Freire. O poema livre. (Poemas de vários autores, incluindo Carlos de Oliveira, com música de M. Freire.). Editado por Lamiré

FILMOGRAFIA

Uma Abelha na Chuva. Realização, argumento e diálogos de Fernando Lopes; fotografia de Manuel da Costa e Silva; música de Manuel Jorge Veloso; montagem de Teresa Olga; interpretação de Laura Soveral, João Guedes, Zita Duarte, Ruy Furtado, Carlos Ferreiro, Fernando de Oliveira; produção “Media Filmes”, 1968-71. Ver em https://www.youtube.com/watch?v=o7oy1BozQpM&t=26s (4 partes).

Cinema ( 2001). Realização de Fernando Lopes a partir do poema “ Cinema ” de Carlos de Oliveira – com Isabel Ruth. Madragoa Filmes ( incluído como extra no DVD de Uma Abelha na Chuva).

Carlos de Oliveira. Sobre o Lado Esquerdo (2007) de Margarida Gil, ( Argumento Manuel de Gusmão e Margarida Gil) , 50’, Midas-Filmes. Ver em https://www.youtube.com/watch?v=1e6i2aHvW3A (fragmento)

TEATRO

Uma Abelha na Chuva. Grupo “Teatro Hoje”. Adaptação e encenação de Gastão Cruz; música de Fernando Lopes-Graça; cenografia de Artur Rosa. Teatro da Graça, 1977-8.

Homenagem a Ângela de Oliveira

[Maria Ângela Ferreira de Jesus Oliveira – 2/08/1920, Funchal – 15/02/2016, Lisboa]

Livro

CRUZ, Gastão; VASCONCELOS, José Carlos de; FAFE, José Fernandes; MENDES, José Manuel; GUSMÃO, Manuel; GIL, Margarida; FERNANDES, Maria José; DAL FARRA, Maria Lúcia; COSTA, Linda Santos; Júdice, Nuno; SILVESTRE, Osvaldo Manuel; MARTELO, Rosa Maria. Carta a Ângela. Lisboa: pequenoslivros, 2017. [ textos na ordem de autores: “Terra de Harmonia”, “Uma figura rara”, “Emancipada e santa”, “Transpondo os versos”, “Para um retrato de Angela”, “Qualquer coisa de menina”, “Um casal único”, “Visita a Ângela”, “Querida Ângela”, “Imitado de Carlos de Oliveira”, “A criptógrafa de sono fácil”, “Conversas com Ângela”. Inclui ainda Bibliografia, iconografia e discografia de Carlos de Oliveira, Breve portefólio de Ângela e Post scriptum assinado por JMM ( José Manuel Mendes, responsável pela obra)].